Seja o seu melhor. Use sua nota do Enem* e venha para a Estácio. 30% de Desconto durante todo o curso*.

Graduação 2017 – 2º semestre *Informações legais no site (regulamentos).

Versão para impressão     Enviar para um amigo    

Home : notícias

UFPE e pesquisadores japoneses firmam cooperação para desenvolver sistema de combate ao zika vírus

Fonte: Imprensa UFPE

07/10/2016


Foi assinado, nesta semana (5/10), na Reitoria da UFPE, o memorando que firmou a parceria entre a UFPE e instituições de pesquisa japonesas. O objetivo principal da cooperação é o desenvolvimento de um sistema de diagnóstico rápido do zika vírus e outras arboviroses, como dengue e chicungunha. Com o novo método, os pesquisadores estimam que o diagnóstico seja dado em dez minutos.

O acordo foi firmado pelo Laboratório de Imunopatologia Keizo Asami (Lika) da UFPE, Núcleo de Saúde Pública e Desenvolvimento Social (Nusp) da UFPE, National Institute of Infectious Diseases (NIID) e a Universidade de Nagasaki, através das empresas de equipamentos médicos Toshiba Medical Systems Corporation e Fujirebio Inc.

A primeira etapa é o desenvolvimento do método de diagnóstico rápido. Em seguida, com os avanços das pesquisas, o foco passa a ser a produção de remédios e vacinas. Após a primeira etapa do projeto, a equipe planeja realizar um seminário, em março do próximo ano, que reúna pesquisadores e representantes da gestão dos municípios, para apresentar os primeiros resultados e discutir as próximas etapas.

A articulação começou em março deste ano, quando a UFPE recebeu a delegação japonesa, composta por médicos, pesquisadores e gestores, que observaram a dimensão do problema das arboviroses e da microcefalia. A partir do encontro, as instituições começaram a pensar nas possibilidades de intervenção a serem desenvolvidas em parceria.

Para o diretor do Lika, José Luiz de Lima Filho, “a expectativa é que, após a certificação, ele seja colocado em funcionamento para poder auxiliar durante o período de maior incidência das arboviroses, e que nos próximos anos ele possa ser usado em outros países”.

Seiki Tateno, do National Center for Global Health and Medicine, é professor emérito da UFPE e foi o primeiro diretor do Lika, cargo que ocupou do ano de 1986 a 1992. Tateno participou ativamente da formação do Lika e do Nusp. “São mais de 30 anos de cooperação científica entre UFPE e Japão, como resultados temos todas essas pesquisas desenvolvidas ao longo dos anos. É muito positivo que a parceria continue e, assim, beneficie a população e contribua para a renovação do trabalho desenvolvido no Lika e no Nusp”, disse ele.

O reitor da UFPE Anísio Brasileiro acredita que, com o novo estatuto da Universidade, que começou a ser discutido (6/10), os laboratórios integrados de pesquisa irão ser colocados em pauta e a expectativa é debater a estrutura para desenvolver as pesquisas a nível nacional e internacional. “É uma grande satisfação receber a comitiva para firmarmos essa cooperação internacional de altíssima importância para a sociedade e que certamente irá impactar no âmbito da graduação e pós-graduação”, conclui o reitor.





Versão para impressão     Enviar para um amigo