Seja o seu melhor. Use sua nota do Enem* e venha para a Estácio. 30% de Desconto durante todo o curso*.

Graduação 2017 – 2º semestre *Informações legais no site (regulamentos).

Versão para impressão     Enviar para um amigo    

Home : notícias

Governo Federal anunciou que não haverá novas liberações do FIES no ano de 2015. IMED se manifesta

Fonte: Imprensa Imed

06/05/2015


Nesta segunda-feira (4/05) o Ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, informou que o governo não possui verba para novos contratos do Financiamento Estudantil (FIES) para o ano de 2015. Com a medida, alunos e Instituições de Ensino Superior precisam buscar meios de suprir essa demanda advinda do FIES.

O atual cenário econômico do país está afetando direitos básicos do cidadão como é o caso da Educação. Conforme o Coordenador da Escola de Administração da IMED, Me. Adriano José da Silva, “o atual cenário da educação foi afetado em razão da brusca mudança no FIES, mudança essa que não foi discutida e imposta no final do ano de 2014. Muitas instituições de ensino não estavam preparadas para tais mudanças, pois tinham elaborado o orçamento de 2015 com base nas regras e no ambiente educacional proposto durante o ano de 2014 e nas promessas feitas nas eleições. Essa mudança irá representar uma reorganização do setor, devendo permanecer IES que oferecem qualidade e frear bruscamente a entrada de empresas americanas nesse setor”, explica.

Adriano destaca ainda que as IES deverão pressionar o governo por meio das entidades que as representam, buscando que o Governo Federal honre ao menos os contratos vigentes, ou seja, pague em dia, uma vez que não está pagando desde janeiro de 2015. “As IES que tiverem um bom planejamento estratégico, que estão abertas as novas tendências, se atualizando, capacitando professores e quadro técnico, deverão frear alguns investimentos, adiar projetos e criar mecanismos próprios de financiamento para manter os estudantes ativos”, frisa.

De acordo com o Diretor de Relações com o Mercado da Insitutição, Me. William Zanella, a IMED conta hoje com 1.200 alunos que possuem FIES em andamento e 188 novos alunos que conseguiram a contratação do financiamento neste ano. “Este cenário faz com que nós, enquanto instituição, nos preocupemos por esses alunos que não conseguiram realizar o financiamento. A partir desta declaração do ministro é necessário que as famílias invistam, façam um esforço para que seu filho(a) possa se manter estudando. A IMED está buscando meios de auxiliar este aluno para que ele não deixe de assistir as aulas, que possa dar seguimento aos seus estudos”, destaca.

“Os estudantes que acreditaram na propaganda do Governo Federal onde o mesmo dizia que não faltaria recursos para o FIES, são os maiores prejudicados, cursar o ensino superior é o sonho da maioria das jovens. Esses estudantes que estão com dificuldades, deverão reavaliar suas prioridades de vida e fazer uma readequação no orçamento pessoal e familiar. Quanto a atitude a tomar, talvez seja fazer pressão política, por meio dos Diretórios Centrais de Estudantes (DCE), bem como pressionar a União Nacional dos Estudantes (UNE) para que façam pressão no Congresso Nacional e no Governo Federal pela liberação de mais recursos. A certeza que tenho é de que essa tempestade irá passar e, logo ali na frente essa linha de financiamento deverá ser retomada, mas sem pressão política nada irá acontecer”, finaliza Adriano.





Versão para impressão     Enviar para um amigo