- Ache os Cursos e as Faculdades certas para você! Clique aqui!

- Bolsas de Estudo - são mais de 1.200 faculdades oferecendo descontos de até 75%! Saiba mais!

Versão para impressão     Enviar para um amigo    

Home : Artigos

Em tempos de Debate, Qual é a Escola dos Sonhos dos jovens

Autor: Foto: Divulgação PUCRS
Fonte: Portal Porvir




O que os jovens pensam da escola e como eles gostariam que ela fosse? Para estimular estudantes de 13 a 21 anos de todos os estados do país a pensar sobre suas experiências de aprendizagem e ouvir seus desejos em relação à Educação, está no ar a pesquisa "Nossa Escola em (Re)Construção". A escuta foi uma iniciativa do Porvir, programa do Instituto Inspirare, em parceria com a Rede Conhecimento Social, realizadora da metodologia PerguntAção, utilizada para a consulta. O questionário foi lançado na internet no dia 28 de abril de 2016, Dia da Educação.

“Quando discutimos educação, normalmente consultamos adultos: gestores, diretores, professores, pais. Nossa intenção é dar voz aos alunos e mobilizá-los para que reflitam sobre o seu papel na escola e sobre as características que elas devem ter para promover aprendizado e desenvolvimento com sentido. Queremos entender o que o aluno do século 21 espera da educação”, afirma a diretora do Inspirare, Anna Penido.

O questionário online perguntou qual é a percepção dos jovens em relação à escola atual e como eles acham que ela pode estimular mais o seu aprendizado, respeitar suas características individuais, ser inovadora e contribuir com a sua felicidade. A grade curricular, os conteúdos, as metodologias pedagógicas, os recursos usados para ensinar e aprender e o formato das salas de aula foram alvo do estudo. Além disso, a escuta também quis saber se há espaço para participação do jovem nas decisões da escola e se eles de fato participam.

A consulta utiliza a metodologia PerguntAção, que envolve o público pesquisado em todas as etapas do processo, desde a reflexão sobre o tema, a concepção do questionário, a mobilização para a coleta de respostas e a análise dos resultados. A Nossa Escola em (Re)Construção começou a ser concebida em uma oficina de 4 horas com um conselho orientador, formado por profissionais com experiência em educação e processos de escuta de jovens. Fazem parte deste conselho Ana Lúcia Lima, do Instituto Paulo Montenegro, Andrelissa Ruiz, da Fundação Tide Setúbal, Camila Khoury, da AIESEC, Carla Mayumi, da Box 1824 e Talk Inc., Ives Rocha, do CEDAPS, Rosi Rosendo, do IBOPE Inteligência, e Renan Ferreirinha, do Mapa Educação.

Posteriormente, um grupo de 25 jovens de diferentes perfis, das cinco regiões do país, se reuniram em São Paulo, para debater sobre suas escolas, seus anseios e propor as perguntas para o questionário, que depois foi refinado pela equipe do Porvir e da Rede Conhecimento Social e pelo conselho orientador.

“O PerguntAção é um processo de construção participativa de consultas de opinião para gerar mobilização. É diferente de uma pesquisa tradicional porque aqui queremos ter resultados não só no final, mas no próprio processo de elaboração de todas as etapas, gerando muito debate, sempre de forma colaborativa com o próprio público alvo. Quem melhor do que os próprios jovens para dizer o que perguntar para os estudantes sobre a escola dos sonhos?”, diz Marisa Villi, cofundadora da Rede Conhecimento Social.

RESULTADOS

A faixa etária escolhida foi de 13 a 21 anos, para ouvir os jovens que estão na escola e os que recém saíram do ensino médio. O questionário foi aplicado online, de 28 de abril a 31 de julho de 2016, e esperava cerca de 3 mil respostas. No final, receberam 132 mil respostas. Delas, 85,4% vieram da região Sudeste; 9,4% da Região Centro-Oeste; 3,6% da Região Sul;  1,4% da Região Nordeste; e 0,2% da Região Norte.

A maioria dos que responderam têm entre 15 a 17 anos porque redes estaduais, que oferecem ensino médio, foram responsáveis por grande parte da mobilização para a escuta.

Os Resultados mostram que:

Os jovens são críticos
- Só 4 em cada 10 estão satisfeitos com as aulas e os materiais pedagógicos;
- 7 em cada 10 acreditam que as relações dos alunos com a equipe escolar e com seus colegas precisam melhorar;
- Metade considera o prédio e a estrutura de suas escolas inadequados.

Mas têm afeto pela escola
- 70% gostam de estudar na escola em que estão;
- 62% acham que a escola oferece um ambiente favorável para se aprender;
- 72% acham que aprendem coisas úteis.

Quando levantadas questões como "Como é a Escola dos Sonhos dos Jovens?" As respostas foram:

- PARA APRENDER MAIS,
36% desejam realizar atividades práticas ou resolução de problemas; 27% querem usar tecnologia.

- PARA SEREM MAIS FELIZES,
25% querem ter algumas disciplinas obrigatórias e escolher outras; 18% preferem ter disciplinas obrigatórias no horário da aula e escolher as do contraturno.

- PARA QUE A INDIVIDUALIDADE DE TODOS SEJA RESPEITADA,
16% esperam que a escola desenvolva suas habilidades de relacionamento; 10% querem ter acesso a conteúdos de política, cidadania e direitos humanos.

- PARA QUE A ESCOLA SEJA INOVADORA,
19% desejam poder usar ambientes internos e externos; 32% querem ter ambientes e móveis variados, como pufes, bancadas, almofadas e sofás.

Os resultados quantitativos da mobilização e a análise das respostas foram divulgados em setembro deste ano. Além dos dados gerais da escuta no Brasil, também é possível analisar as respostas por escola ou organização social/coletivo de jovens com pelo menos 50 participantes. “A ideia é que o questionário também se torne uma ferramenta para que os professores e as escolas ouçam os seus alunos e promovam debates. Nosso sonho é que mudanças concretas aconteçam em escolas de todo o Brasil a partir da escuta dos jovens”, explica Tatiana Klix, editora do Porvir.

São parceiros de divulgação e mobilização da iniciativa: AppProva, Bett Brasil Educar, Catraca Livre e Geekie. Outras instituições que desejem receber resultados parciais da pesquisa ou apoiar a divulgação e mobilização devem entrar em contato com o Porvir pelo email ou pelo telefone (11) 3813-7719 Ramal 19.

Veja o questionário feito

Veja o Relatório Completo

Assista ao vídeo sobre o Projeto.


INSPIRARE

Criado em 2011, o Inspirare é um instituto familiar cuja missão é inspirar inovações em iniciativas empreendedoras, políticas públicas, programas e investimentos que melhorem a qualidade da educação no Brasil. O trabalho tem como foco quatro objetivos complementares: mapear, produzir, difundir e compartilhar referências sobre tendências e inovações em educação; fomentar a geração de soluções educacionais inovadoras; experimentar soluções educacionais inovadoras em territórios estratégicos para gerar impactos locais e referências para escala; criar condições para a incorporação de inovações educacionais por redes públicas em larga escala.

O Inspirare desenvolve quatro programas

Porvir: utiliza estratégias de comunicação e mobilização social para informar a sociedade sobre tendências e inovações educacionais e orientar práticas educacionais inovadoras.

Iniciativas Empreendedoras: fomenta, fortalece e articula empreendedores e negócios de impacto social que propõem soluções educacionais inovadoras.

Laboratórios Educativos: articula poder público, comunidades e escolas para experimentarem inovações educacionais e inspirarem novos modelos e práticas pedagógicas.

Educação Pública Inovadora: incide sobre políticas públicas e apoia redes de ensino no desenvolvimento e implantação de inovações educacionais.

PORVIR

Iniciativa do Inspirare, o Porvir atua na comunicação e mobilização social que promove a produção, difusão e troca de conteúdos sobre inovações educacionais. Com o propósito de inspirar políticas, programas e investimentos que melhorem a qualidade da educação no Brasil, as informações mapeadas são disseminadas por meio do site e de amplo processo de colaboração com a mídia.

Todo conteúdo produzido pela equipe está disponível para uso livre. Além disso, a equipe de jornalistas oferece guias, fontes, pautas e parceria para a produção de conteúdos jornalísticos sobre inovações em educação. Também realiza workshops sobre tendências em educação para comunicadores e promove encontros informais com grandes especialistas na área, que visam aprofundar o conhecimento e, consequentemente, contribuir para que a cobertura jornalística sobre o tema seja mais aprofundada.

O Porvir também realiza uma série de ações para mobilizar tomadores de decisão e a população em geral. Encontros presenciais visam inspirar e orientar interlocutores estratégicos, como governantes, investidores e empreendedores sociais, especialistas, gestores educacionais e de recursos humanos. Eventos abertos ao público e interface via mídias sociais buscam qualificar o repertório da sociedade brasileira sobre o assunto.





Versão para impressão     Enviar para um amigo